DIÁRIO DE BORDO

Experiência de entrevistas sobre drogas e violência no bairro de Periperi

26 e 27 de junho, por Beatriz Santana

Participei de uma entrevista no bairro de Periperi nos dias 26 e 27 de junho com os temas uso e abuso de álcool e outras drogas e violência letal contra jovens. Fiquei responsável por fazer as perguntas, e dessa forma pude prestar muito mais atenção nas respostas e perceber como são preocupantes. Dos 20 entrevistados, a maioria conhece algum jovem que foi assassinado ou é envolvido com drogas. Infelizmente, essa é a realidade dos jovens de hoje em dia, principalmente do Subúrbio.

Muitos dos entrevistados disseram que acham que a causa principal do envolvimento com drogas é desestrutura familiar ou até a falta de oportunidades, como de fazer cursos e conseguir empregos. Mas, na real, é impossível saber. A única coisa que podemos fazer é tentar ajudar de alguma maneira.

Essa saída foi uma experiência um pouco diferente das que eu já tive. Eram vários sentimentos, como o de medo pelas informações que foram adquiridas e receio de andar em alguns lugares. Mas o sentimento que permaneceu foi o de alegria e alívio por estar sendo capaz de cumprir mais uma grande etapa desse projeto.

Por Bruna Emanuelle

Fomos fazer uma saída de campo com o intuito de entrevistar 10 jovens e 10 adultos para saber o que os moradores do Subúrbio Ferroviário, do bairro de Periperi, pensavam em relação aos jovens, drogas, violência e álcool. Ao realizar a pesquisa, percebi que o perfil dos jovens que mais morre de violência no bairro é de jovens do sexo masculino, da cor negra, entre 19 e 26 anos.

Foi muito importante essa experiência para ter a visão dos moradores em relação à violência, a bebidas e drogas, e também para ver ocorridos que os entrevistados já viram, ouviram dizer até mesmo que aconteceram com eles.

Por Juliana Silva

Nas saídas de campo em Periperi, fomos às ruas entrevistando adultos e jovens do bairro, onde pude saber o que achavam do comportamento de jovens envolvidos com drogas e álcool. Foi uma experiência na qual pude aprender e conhecer pessoas que contaram várias histórias interessantes de vida.

Por Nathalia Gomes

As saídas de campo me fizeram ter novas experiências sobre o bairro de Periperi. Aliás, tive um amadurecimento, digamos assim, sobre como abordar pessoas e fazer as pesquisas de campo. Fiquei mais solta em abordar uma pessoa na rua e falar sobre o curso e tudo mais. Mesmo achando o assunto um pouco perigoso e um tanto ardiloso de se abordar, a maioria dos entrevistados colaboraram bastante com nossas perguntas. Apesar de algumas não renderem muita coisa e usarem a palavra “não” para tudo, tivemos também uma entrevistada que falou um pouco demais.

Por Silvia Nascimento

Mesmo já tendo experiência com entrevista, posso dizer que a experiência foi um pouco tensa em relação à outra saída que fizemos para produzir o ensaio fotográfico “Sonhos da Juventude”. Falar sobre drogas nunca é fácil, pois algumas informações que coletamos podem soar comprometedoras para algumas pessoas. Nas saídas, fiz o papel de escrever as informações que os entrevistados passavam. Como imaginei, os resultados da pesquisa não impressionaram. De acordo com os entrevistados, os motivos para tanta morte de jovens são dívidas de drogas, brigas de gangues rivais, brigas de torcidas organizadas, e um motivo bem fútil, que é “ brigar e matar alguém por causa de namorado(a)”. Infelizmente, existem muitos jovens em Periperi e de outros lugares envolvidos com drogas, e tenho certeza de que muitos poderiam ser excelentes pessoas na sua vida profissional, emocional e familiar, mas a droga tem destruído seus sonhos e sua vida. Resumindo: a droga é uma droga.

Grupo de jovens faz entrevistas sobre drogas e violência no bairro de Periperi

Grupo de jovens faz entrevistas sobre drogas e violência no bairro de Periperi